terça-feira, 15 de julho de 2014

A queimar cartuxos

... mas a queimá-los com prazer, aproveitando cada minuto como se fosse único.

Ontem os meus meninos passaram parte da tarde comigo - para a Mãe poder tratar das coisas ( tantas!) antes da partida para Palo Alto.
Resolvemos ir ao Botânico, onde já não ia há muito. Que felizes eles estavam.
O Daniel até me disse que alguns textos da prova de português que teve de fazer este ano eram escritos por Sophia, falou-me da Menina do Mar e do Rapaz de Bronze. Só não sabia era o fim das histórias, de modo que contei-lhas por alto para que um dia ele as venha a ler e gostar.
Também estivémos a ver se eles ainda se lembravam do nome das flores, mas aí foi falhanço total: agapanto saiu aga-pito, lan-tana saiu lamkarai ( prato indiano), buga-nvilia saiu buga-buga, jaca-randá saiu jaca-ta´!! Ri-me até chorar!!

Os mais pequenitos resolveram subir à Árvore, a que eles chamam de sua, pois é mesmo feita para se trepar de ramo em ramo, com uma margem de risco mínima. O mais intrépido é o André, que se eu deixasse subia até ao cimo de tudo, tal é a sua ânsia de conquistar e ousar. O mais pequeno também conseguiu subir com a ajuda do mais velho e em breve estavam os três a dominar o mundo do alto dum carvalho ou coisa que o valha, francamente não sei de que árvore se trata, pois não tem lá o nome. Fomos depois comer um gelado juntos, antes de os levar a casa, onde conversei longamente com a minha nora e filho sobre a ida deles.
Vista parcial da varanda do meu quarto
Conto ir passar uns 20 dias à Califórnia. Só espero que tudo corra bem. Irei com o meu filho quando ele tiver que vir à Europa o que acontecerá amiúde, dado que o trabalho das empresas e da Universidade exigem a sua presença.

Hoje vim para Ofir, a minha segunda praia de eleição. Castelejo tb é, mas essa pertence a outro campeonato :)

Não fora o vento, considerava esta praia, uma das melhores do mundo. Um areal imenso, com dunas intermináveis, sem casas, um hotel simpático com piscina aquecida cá fora, um jardim descomunal, courts de ténis, bowling, tudo pelo preço de um hotel de *** em Lisboa. Adoro estar aqui, já é a sexta ou sétima vez que cá passo.
E no meio disto tudo um pinhal com pássaros que cantam a sério à volta da piscina, turistas felizes com crianças educadas....

Vista parcial da praia de Ofir
Quero aproveitar o tempo que me resta. Nunca tive grande ambição de gastar dinheiro desmesuradamente, sempre poupei o mais possível, concedendo aos meus filhos todas as ambições a que eles aspiravam,  Erasmus, estudos de música, universidade católica, ajuda para compra de casa, carro, viagens, cursos de férias, tudo o que eles mereciam...

Não tenho remorsos; agora que eles já estão "arrumados" ou quase, posso gastar comigo alguma coisa. Acho que mereço.

Amanhã irei à praia, hoje estava demasiado vento e areia voava...mas amanhã vai estar melhor e não quero deixar de gozar do mar imenso que aqui se estende por kms e kms....até encontrar o rio  Cávado, que o vem beijar...

5 comentários:

  1. Ofir, Estalagem do Rio para onde eu ia todos os anos. Éramos até sócios. E a praia só tem o defeito de ser ventosa. Tanto a atravessei a pé, sozinha,porque ninguém gostava de andar. Tenho muitas saudades. Desejo-lhe uma ótima estadia.

    ResponderEliminar
  2. Já voltei, foram tres dias apenas para oferecer ao meu neto e filha....como ele tem muitos compromissos, decidi só ficar estes dias. O nevoeiro de manhã trocou-me as voltas, hoje estava a uma chuva miudinha e só abriu pelas 13. Os miudos ainda tomaram banho, mas eu já nem isso. Fiquei com saudades de tudo aquela paisagem em frente dos olhos.....mas aqui em casa está-se bem...

    ResponderEliminar
  3. That's true...but if you go out, you'll never know how good it is to be back sometimes....

    Bjo

    ResponderEliminar